A Púrpura Taça de Histórias

Bento Gonçalves, lugar em que o vinho jorra vida. Entre morros e videiras, situada no alto da Serra Gaúcha, a qual recebe o título de “Capital Brasileira do Vinho”. Município de natureza exuberante e rica em histórias, onde, desde muito jovens, aprendemos a importância, a tradição e os segredos da descendência italiana, pessoas fortes e guerreiras que migraram para um lugar onde não tinham certeza do que iriam encontrar e, mesmo assim, superaram suas dificuldades, ensinando a garra de conquistar o nosso espaço, sempre tendo amor pela nossa terra, trazendo consigo uma das coisas mais significativas da história do local, o vinho. “A púrpura taça de histórias” é um documentário poético de curta metragem que trata da história do vinho bento-gonçalvense trazido pelos italianos durante sua imigração para o município (que na época era uma colônia), ganhando apreciadores, tornando-se uma das principais economias do local.Um lugar rico em histórias que merecem serem contadas.

Neste documentário, dentre tantas vivências da comunidade, duas pessoas (de diferentes idades) trouxeram histórias marcantes sobre o vinho do município. A Sra. Elaine Michelon (50 anos), filha de Moysés Luiz Michelon (infelizmente já falecido) que foi responsável pela execução da primeira FENAVINHO, uma festa de suma importância para a comunidade local, onde relembra a imigração italiana em torno de uma das principais produções do município, o vinho. Atualmente ela é a proprietária do hotel Villa Michelon situado no Vale dos Vinhedos. Além do Sr. Vitalino Nichetti (78 anos) que contribuiu para viabilizar o vinho encanado no centro da cidade em algumas edições (uma das principais atrações na véspera da festa), sócio da empresa Aurora e, atualmente, conselheiro da Fundação Educacional da Região dos Vinhedos (FERVI).

O documentário se inicia, em 1875, com a imigração italiana para a cidade, onde, em apenas um ano, o município já tinha uma população de 790 pessoas, em que 729 eram italianos. Em 1967 a cidade passou pela sua maior transformação, com o auxílio da comunidade, onde surge a primeira festa nacional do vinho (a primeira FENAVINHO) e foi a partir daí, que não só o vinho, mas o município como um todo ganha visibilidade no país inteiro.

Bento Gonçalves, uma cidade com 115.000 habitantes (IBGE, 2017) situada no alto da Serra Gaúcha. Desde o Vale dos Vinhedos (principal destino enoturístico do Brasil) ao centro da cidade, em cada lugar onde o vinho deixou sua marca foi registrado, dando destaque para Bento Gonçalves como um todo.

Nele a equipe procurou mostrar cada pessoa, cada lugar e cada história de forma poética, revelando a todos os segredos e relíquias da nossa região. Apenas com uma câmera foi gravado as belezas bento-gonçalvenses de forma com que conseguíssemos apresentar toda a abundância que o município tem em beleza e elegância. Com entrevistas, as histórias surgiram, contando o passado e as tradições que se estendem até hoje e que fazem parte de cada cidadão. A equipe procurou fazer tudo voltado ao que está por trás de Bento Gonçalves, das paisagens, dos moradores, do vinho, tudo de modo singelo e verdadeiro com um pouco de poesia e muito amor.

O objetivo principal é resgatar vivências, não apenas transpassar conhecimento sobre o município, mas sim, não deixar que nossas histórias se percam com o tempo. Mostrar a garra dos imigrantes ao chegar à cidade que, mesmo com tantas dificuldades, nos trouxeram inúmeras relíquias. Um lugar que além de ter uma beleza exuberante há experiências, sensações, o amor do cidadão pela terra e, principalmente, a importância do vinho para a cidade, que ficou conhecida nacionalmente como “a cidade onde o vinho jorra de graça na rua central”.

Para assistir o documentário:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *